16.5.07

Dark Side of the Moon: um disco cheio de conceitos e fenômeno de vendas


Como sou um grande fã dessa banda, Pink Floyd, não poderia deixar de postar algo sobre esses caras que de tão loucos fizeram um disco sobre o tema: a loucura!! Pois segundo Roger Waters, o baixista, esse é o grande tema que o engloba.
Esse é um dos discos, se não o único a nos fazer refletir sobre a nossa sociedade que nos faz pessoas mais insensíveis a nossa própria condição humana de consumo exagerado, belicista, fugaz e por assim dizer, auto-destrutiva. Nos levando, por fim a uma condição de loucura sem distinção, onde não conseguimos discernir as coisas boas ou ruins e as relações humanas são escassas e pobres.
Em questão ao som da banda, nada se encontra parecido até hoje. Primeiramente, para a época, a gravação foi totalmente inovadora com a qualidade do som quadrifônico que apresentava mais realismo e intensidade à música, como se nós entrássemos dentro dela.
Fora a qualidade do som e do virtuosismo da banda, esse disco é considerado um divisor de águas dentro e fora do rock progressivo.
Em números, o disco é o terceiro mais vendido do mundo de todos os tempos, chegando a marca de 30 milhões de unidades, ficando em primeiro mais vendido nos Estados Unidos e França em 2002, no seu relançamento em SACD, ou seja, 30 anos depois de seu lançamento em 1973. Dizem até que dentre 14 pessoas com menos de 50 anos uma possua o disco e no Reino Unido é ainda mais espantoso, de cada 5 residências uma o possuí.
Segundo a revista Q inglesa, ela fala que o disco apresenta uma característica global, em que com tantas cópias vendidas "é impossível que se passe um minuto sem que DarkSide toque em algum lugar do mundo", segundo suas palavras.
Afinal, o que faz o disco ser tão especial foi a atribuição a um tema universal e que diz respeito a todos nós, o se fazer conheçer, o "olhar para si" que incrivelmente nos parece tão longe e desconexo. Não preciso falar mais nada, tudo o que falei só se torna compreensível ouvindo ao disco.

9 comentários:

Mariana Souza disse...

Gostei do texto.
Infelizmente não conheço muitas músicas deles.
Mas vou procurar conhecer.

Felipe Simi disse...

Boooooa, Jesus!

Para nós, fãs de Pink Floyd, esse disco é inesquecível! No mais, dá para perceber que, desse assunto, você entende - texto muito bem escrito.

Valeu, véio!

Michele Roza disse...

Hei, Jesus!

Nem preciso falar q sou fã tbm, né?! Adorei. Falar sobre rock progressivo e loucura é falar de atitude!

bjosssssss

Thiago Moura disse...

Boa Jesus!!!!!!!!!!!!!!
Abraço

Silvia Song disse...

E todas as vezes que eu falo contigo eu penso "eu devia conhecer mais..". pena que a preguiça fala mais alto.
Besos!

RDS disse...

Grande salvador.
Precisamos de mais simplicidade em nossas vidas, essa modernidade é enlouquecedora. Parem escutem e reflitam (mesmo sem as vírgulas necessárias rs).
"The lunatic is on the grass..."
Grande abraço e ótimo texto.
PS: quem são os loucos de verdade?

Lucas disse...

30.000.00 de copias é coisa pra c...

Valeu, Jesus, to espantátila com a quantidade de cópias vendias!

Abraço, Lucão!

Luciana disse...

tava só esperando o momento em que vc ia falar do pink floyd!

hahahaha


mto bom o texto, bru,
só um bom conhecedor para escrever algo do tipo


beijão

Sabrina Machado disse...

Pra variar Pink Floyd hein Jesus...

Olha comecei a mudar meu conceito, depois q assisti aquele dvd do Roger Waters q te falei...

o som era mto bom...

mandou bem jesus, ta fazendo milagres daqui uns dias to tocando wish were nao sei do q???

eh essa neh???

bjos